quarta-feira, 30 de junho de 2010

Brasil encanta e canta na África do sul

Brasil faz sucesso em campo, mas também fora dele, na África do Sul. Fique ligado no som que agitou a tv sulafricana. O jeito brasileiro é do jeito que o sulafricano quer. E vamos em frente que ainda faltam 3 partidas para o título do mundo, de novo. Vamos, Brasil.

terça-feira, 29 de junho de 2010

Na contramão na África do Sul

videoUma viagem conosco pelas estradas da África do Sul. Nosso motorista, Thabo, te leva pela "contramão" por conta da mão inglesa, fruto da colonização. Durante a cobertura daq Copa do Mundo, nosso companheiro inseparável: o motorista. Aqui, com a tal da "mão invertida", fica impossível seguir sozinho. Pode viajar conosco. Será uma prazer a sua companhia.

Flagrante de arte marcial na África do Sul


videoQuando a gente está em um lugar novo tudo é motivo para curiosidade. Foi o que aconteceu comigo, dia desses, na praia de Durban. Vi um grupo de praticantes de karatê e resolvi acomponhar a preparação deles. No vídeo, detalhes desses trabalho. Espero que possam curtir.

Momento "torcida"


São raros os momentos para registrar algo que nao seja, essencialmente, o nosso trabalho. Aqui, instante de um clic dentro do Monte Cassino, em Joanesburgo, ainda no começo dos nossos trabalhos por aqui.
Depois, nunca mais encontrei o Fábio Lucas. Ele está viajando por aí. Sei que hoje está em Port Elizabeth. Mas isso, só porque li a pauta. Eu estou em Joanesburgo.

domingo, 27 de junho de 2010

Amarelo de preocupação



O Brasil tem quatro jogadores pendurados para o jogo contra o Chile. Além de Juan e Luis Fabiano que aparecem ao lado, não podem "amarelar", de novo, Felipe Melo e Ramires. Os cartões só serão zerados depois das quartas-de-final. Ou seja, se eles tomarem cartão nos próximos 180 meninos, só voltam na hipotética decisão.
Cuidado é bom, mas cuidado em excesso pode atrapalhar o grupo. Aí é que está a balança.

Paisagens de um país que não é tropical, mas é bonito por natureza










Depois de alguns dias de frio, tive a oportunidade de passar dois dias no calor de Durban, litoral sulafricano. Paisagens que mostram um inverno bem diferente daquele que se vive, por exemplo, em Joanesburgo.
Vale a pena conferir.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Parada no acostamento. Nas mãos e na língua dos africanos.

Por aqui a dependência é total. Um motorista te acompanha para todos os lugares para onde você pretende seguir: estádios, campos de treinamento, almoço, etc e tal. Por conta da mão inglesa (direção invertida) não é possível autonomia. E, uma vez resolvida essa questão, tem a linguística que te envolve facilmente. Aqui é uma verdadeira torre de babel. Os brancos falam o africâner (algo puxado para o holandês e o inglês), os negros falam as línguas africanas (quase tribais), todos falam inglês como a língua oficial do país. E, nessa mistura, vale a pena conhecer um pouco da cultura deles. É o verdeiro aprendizado de uma viagem desse tipo. Vale a pena. Lamento não ter conseguido baixar o vídeo de um diálogo. Então, fique com a curiosa placa de trânsito que encontrei por aqui. Nesse trecho, tudo liberado, menos a venda de frutas na beira da estrada. E vamos em frente. Abraço.

A Costa do Marfim chega para um treino

Quem é repórter não é fotógrafo e nem cinegrafista, portanto está proibido de fazer fotos ou imagens em qualquer área considerada oficial pela FIFA durante uma Copa do Mundo. O último treino da Costa do Marfim antes do duelo contra o Brasil não aconteceu no Estádio Soccer City, exatamente para a preservação do gramado do jogo. Mas como o último treino é considerado Treino/Fifa, a proibição, em tese, está mantida. Sem olhar para os lados, tomei a liberdade de registrar a chegada da delegação, no último sábado. A demora na postagem é por conta da lenta internet na maioria dos locais sulafricanos. I am sorry.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Paisagens por cima do muro



Eu estava na minha missão de transmitir, ao vivo, as informações que antecediam o jogo entre Brasil e Costa do Marfim, no Soccer City. Do "ponto alto", alguns clics que não me furtei a trazer comigo e para os amigos.

Parada complicada


A tal da mão inglesa não é o problema principal de quem se vê pelas ruas de Joanesburgo. Existem outras "pegadinhas" como semáforos desligados ou um "pare" fora de órbita (na foto). Mas no final das contas, a gente vai se virando por aqui. Serão 42 dias por aqui. Um dia sentirei saudades, hoje, estou doido de saudade de casa.

domingo, 20 de junho de 2010

Momento família


Na "casa" do amigo Luiz Ceará, na pousada onde estamos "morando" aqui em Joanesburgo, um jantar familiar para comemorar o aniversário do cinegrafista que está trabalhando comigo nessa missão: o André Alexandre.
É o segundo aniversário que passamos juntos. Ano passado também estivemos juntos, pela Copa das Confederações. É um sujeito calado, mas amigo e um dos mais responsáveis profissionais com quem já trabalhei nesses vinte e dois anos de profissão.
Ele está, para quem olha a foto, do meu lado esquerdo. Para quem está aqui, comigo, do lado direito. Parabéns, amigo e seguimos nossa "Missão África".

O frio na minha janela


Ainda era só o início. Mas da janela eu registrei o que iria me acompanhar por esses dias de África do Sul. Essa foto foi registrada momentos antes da nossa chegada, de Joanesburgo. Da janela do avião, água congela, ao meu lado.
Aqui, no chão, não tem neve, não tem garoa. Não tem chuva. Em compensação, tem um frio seco que racha os lábios, que dificulta a respiração. Além disso, estamos na altitude de cerca de 1.700 metros - quase igual a Campos do Jordão.
Mas tudo vale a pena. Está ótimo. E tomara que assim continue.

Brasil e o duelo mais difícil


A seleção brasileira, dentro de pouco mais de 3 horas, entra em campo contra o seu adversário mais difícil da próxima fase. Vou deixar meu registro antes do jogo. Acho que a seleção brasileira, hoje, não consegue os 3 pontos.
Estou na torcida por, pelo menos, um empate. O time africano tem uma força física incrível, além de uma considerável técnica e experiência suficiente de seu elenco. O comando é de um técnico rodado e com um astral incrível, Sven Goran Erickson, de quem tornei-me fã, ontem, durante a entrevista coletiva que segui logo após a coletiva do brasileiro Dunga.
Tomara que eu esteja errado e o Brasil possa, daqui a pouco, garantir vaga na próxima fase da Copa da Africa do Sul.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Fria estréia brasileira na África do Sul


Abaixo de zero, sem geada, mas com um frio terrível. Ao fundo, o Ellis Park, onde o Brasil estreou contra a Coréia do Norte. Nós passamos o dia na sacada de um prédio comercial para as entradas ao vivo para todo o país.
Foi a sensação pura de um curso express para pinguim. Nunca sofri tanto. Depois,
com a bola em jogo, sofri ainda mais.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

"Quero-quero" sulafricano perto da seleção


É comum a revoada de um tipo de pássaro endêmico da África do Sul, nos campos de Joanesburgo. Eles cantam um som particular e anunciam sua chegada. No Rand Park Golf Clube, onde o Brasil está concentrado, eles também ajudam a compor o cenário.

domingo, 13 de junho de 2010

Alexandre Pato, convocado, está na África do Sul


Encontrei o atacante do Milan, Alexandre Pato, em Joanesburgo. Convocado, ele chegou na África do Sul iniciar seus trabalhos. Pato não foi chamado por Dunga, mas por um patrocinador de material esportiva, contratado como garoto propaganda de um projeto social da Nike em Soweto, bairro pobre e histórico de Joanesburgo.
Ele tem contrato até 2014 com o clube italiano e pretende, depois disso, voltar ao futebol brasileiro. Pato esteve no Centro de Treinamentos da Nike, para visita, junto com o chefe da delegação brasileira, Andres Sanchez e do Ministro dos Esportes, Orlando Silva. Sanches brincou que queria contratá-lo. No futuro, porque não ?

A mensagem de um grande mestre.



Tive a oportunidade de conhecer o Centro de Treinamento que a Nike construiu no bairro de Soweto, periferia de Joanesburgo. Lá, serão atendidas 20 mil crianças carentes. Logo na entrada, uma grande mensagem de um dos maiores treinadores do futebol Mundial (foto), Arsene Wenger. Ele diz: "Construir um atleta é como construir um prédio. O começo é pela fundação. Isso é fundamental".
O projeto, claro, coincidiu com a Copa do Mundo, na África do Sul, quando a visibilidade certamente é maior. Mas a iniciativa é louvável e pode seguir de exemplo para outras empresas.

quinta-feira, 10 de junho de 2010

O prazer de estar entre grandes personagens e, principalmente, amigos



Essas fotos traduzem um pouco do momento ímpar que um profissional pode viver. Quando criança, fui admirador incondicional de um sujeito de voz sem igual, de vibração fantástica, de chamar a atenção e emocionar. Luciano do Valle, hoje, é um companheiro de trabalho. Está na décima Copa do Mundo e eu, ao lado dele (e com amigos fantásticos como Luiz Ceará e Fernando Fernandes) na minha segunda participação em Mundiais. Tomara que o Brasil possa vencer. A felicidade estará completa. Se o Dunga precisar de reforço, também dá para oferecer. Ao meu lado, outros dois craques. Neto e Edmundo.
Alguém discorda ?

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Gilberto Silva dá com a língua nos dentes


Hoje, antes de começar a entrevista coletiva com Gilberto Silva e Gomes, o goleiro ouviu o seguinte pronunciamento do companheiro. "Olha que bando de trogloditas!". O jogador se referia aos jornalistas que, mais uma vez, lotavam a sala de imprensa no Rand Park Club, em Joanesburgo.
Em defesa do atleta o argumento de que "troglodita" é uma referência à "poliglota", por conta do grande número de jornalistas estrangeiros que também cobrem o Brasil.
Te convence, isso ?

Seleção treina no campo de golfe


Nada de campo de futebol para a seleção brasileira nesta terça-feira, faltando seis dias para a estréia na copa do mundo, na África do Sul. Aqui, a foto da equipe, antes do trabalho físico no campo de golfe do Rand Park Club, em Joanesburgo.
Hoje o dia foi de agenda lotada para alguns jogadores do Brasil. Além do treino, a visita da comissão anti-doping da FIFA.

segunda-feira, 7 de junho de 2010

O trabalho dos "homens de negro" na Copa do Mundo



Nosso uniforme, fundamentalmente negro, tem chamado a atenção de toda a imprensa esportiva, aqui na África do Sul. Preparados para o frio intenso na parte noturna do trabalho e para o sol agradável durante o dia, vamos chamando a atenção por onde passamos.
A BAND está com 130 funcionários na cobertura da Copa do Mundo e uma estrutura que há muito não se via. E o melhor: sem privilégios - antes concedidos pela CBF à uma irmã-concorrente - estamos conseguindo, com irreverência e profissionalismo, misturar descontração e informação em nosso trabalho. Quem puder, acompanhe a gente.
Em uma das fotos estou no Rand Park Golf Club, local onde está concentrada a seleção Brasileira. Na outra, ao lado do companheiro Luiz Ceará, acompanhando um treino do Brasil na Rand Burg High School, escola sulafricana que possui uma estrutura adequada para os treinamentos da seleção de Dunga. E como os estudantes estão em período de férias, aqui é só Brasil.

Descontração antes de pegar a Tanzânia.



Para os jornalistas, em geral, cara fechada. Entre eles, normalmente, descontração total. É esse o clima para quem vive o dia a dia da seleção brasileira, na África do Sul. Aqui, você acompanha momentos do último treino antes do jogo contra a Tanzânia, a partida oficial que dará fim ao treinamento visando a estréia na Copa do Mundo, terça-feira que vem.
Julio Cesar, poupado, foi o único que não participou das atividades, treino separadamente.

sábado, 5 de junho de 2010

O sábado na África do Sul. Treino fechado e derrota



No campo do Rand Burg High School, o técnico Dunga fechou boa parte das atividades. Fez um treino coletivo sem o goleiro Julio Cesar. Em lances "pegados" e sem muita criatividade, muito trabalho de destruição e pouco de criação. Exatamente como a cara do Brasil 2010.
A vitória dos reservas, com gol de Grafite, mostrou pouco do muito que a gente teve que esconder dos telespectadores. E a Copa do Mundo vai começar. Tomara que quando dor "para valer" a coisa seja diferente.

África do Sul. O paladar incrível dessa terra ímpar.


Existem detalhes periféricos que chamam a atenção em um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo. O paladar pode estar entre um dos principais, sem dúvida nenhuma. Estou tendo a oportunidade de conhecer pratos atraentes da culinária sulafricana. Acima, aproveito para destacar um dos meus prediletos que é o Calamar (Lula). Cada restaurante prepara essa delícia de sua maneira, mas geralmente com um tempero agradável a levemente apimentado. Um prato como esse, da foto, custa cerca de 150rands, algo em torno de R$ 40 reais, com os 10% de taxa de serviço. O detalhe é que ele é servido, também, em restaurantes tipo fast-food, mais barato mas igualmente saboroso. É um gol de placa desse país à espera do pontapé inicial.

Missão Copa do Mundo. Detalhes da África do Sul.


A partir de agora, vamos passar detalhes do nosso tempo aqui na África do Sul, para a cobertura da Copa do Mundo. Na foto, detalhes da minha primeira parada em Joanesburgo, momentos depois do credenciamento para a Copa 2010. Ao fundo, o Estádio Soccer City, de beleza ímpar. Abaixo, uma poeira incrível. Uma pena, cartão de visita dos sulafricanos ao povo, do mundo inteira, que chega para o maior evento esportivo do planeta. Vamos em frente.