sábado, 31 de julho de 2010

A Fonte Nova continua velha



Estou em Salvador para a final da Copa do Brasil entre Vitória e Santos. Também vou participar da transmissão do jogo do time baiano contra o Botafogo do Rio de Janeiro. Interessante duelo entre dois treinadores. Joel Santana já foi o "professor" de Ricardo Silva. O treinador baiano trabalhou como assistente de Joel Santana. Se enfrentam pela primeira vez.
Hoje, sobrevoando Salvador, na chegada à bela capital baiana, não pude me furtar de observar o Estádio da Fonte Nova, antigo estádio do Bahia. Ele está por ser demolido, depois da tragédia de alguns anos, quando uma das arquibandas cedeu durante um jogo e várias pessoas ficaram feridas. Mortes foram registradas.
Pela informação que obtive, o estádio será demolido para a construção de um novo. Quanto, ninguém sabe. Ele deve ser implodido. Parte da história vai embora com ele.

Santos dividido, pela Copa do Brasil



Por volta de 14h00 deste sábado, o time do Santos embarcou no aeroporto de Congonhas para o jogo de amanhã contra o Grêmio Prudente, no interior paulista. Os mais badalados do elenco ficaram em Santos.
O técnico Dorival Júnior optou por viajar para Presidente Prudente com um time misto. Entre os mais experientes estão o meia Marquinhos, os atacantes Madson e Zé Eduardo e o goleiro Felipe.
Na 2a.feira, o grupo que foi para o duelo pelo brasileirão e os titulares absolutos se encontram em Salvador para o duelo decisivo da Copa do Brasil, na quarta-feira, contra o Vitória.
No primeiro duelo com os baianos, os santistas fizeram 2 a 0 e estão muito perto de ocmemorar essa conquista inédita.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Adilson e Diego. Inspiração ou não ?


Na coletiva desta 6a.feira, Adilson Batista brincou com os jornalistas. Disse que foi inspirado por Maradona a dar um salto e atingir a placa de propaganda no Estádio do Mineirão, para comemorar um gol, quando treinador do Cruzeiro.
Aproveitei a brincadeira para dizer se o ex-treinador da Argentina não teria alimentado uma outra inspiração. Maradona disse que desfilaria nú próximo ao obelisco (monumento que é ponto turístico de Buenos Aires) caso a Argentina tivesse vencido a Copa do Mundo da África do Sul. Nem terminei a pergunta e Adilson sorriu. "Mas aqui não tem Obelisco, né?". Todos que estavam próximos responderam que tem sim. Acabou a coletiva do técnico do Corinthians que domingo estréia no clássico contra o Palmeiras, contra seu ex-comandante nos tempos de jogador: Luiz Felipe Scolari.

sábado, 24 de julho de 2010

Mano Menezes. Um novo ciclo na seleção brasileira


Só o tempo vai dizer se a decisão foi acertada ou não. Muricy vinha em busca do reencontro, depois de uma temporada ruim - entre a demissão no São Paulo e um caso mal resolvido no Palmeiras (não esquecendo da liderança provisória do Brasileirão com o Fluminense - já seu "sucessor" mantem uma regularidade que o fez traçar uma carreira meteórica e, sinceramente, merecida.
De instrutor do SESI no interior do Rio Grande do Sul - passando por uma carreira de atleta sem muito sucesso - à tecnico do Brasil, Mano Menezes traçou seu perfil nas dificuldades. Levou Grêmio e Corinthians de volta à elite do futebol brasileiro, missão que muitos recusariam. Ele não foge do trabalho e dos espinhos. Exatamente o que terá agora.

Betão, ex- zagueiro do Corinthians faz promoção no twitter


Jogador do Dínamo de Kiev, da Ucrânia, Betão analisou a convocação de Mano Menezes para ser o novo treinador da seleção brasileira. Também falou do último jogo da sua equipe contra o Metalist - equipe do recém chegado Cleiton Xavier. Por fim, lançou uma promoção no twwiter dele.
Tudo isso pode ser acompanhado em @Betao03. Parece que vai pintar uma promoção por lá.
Abraço ao Betão e boa sorte a seus seguidores.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Muricy Ramalho e a seleção brasileira.

Muricy é uma grande figura. Muda completamente diante das entrevistas coletivas. Nasc exclusivas ou longe dos microfones, é outro sujeito. Acompanhe uma matéria
que tive a oportunidade de fazer com ele, ainda nos tempos de São Paulo.
De 2001 até 2008, pelo menos um título por ano. Ganhou 3 títulos brasileiros com
o São Paulo.

http://www.youtube.com/watch_popup?v=-Z_Ve8Lf4VQ

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Um dia especial em Soweto. Pq a discriminação?





Hoje, passada a Copa do Mundo, vida colocada em dia, é possível rever fotos e momentos vividos na África do Sul. Um dos mais marcantes estão registrados acima quando tivemos ( eu e meu companheiro André Alexandre - cinegrafista companheiro de batalha ) a oportunidade de conhecer a casa de um amigo que fizemos nos dias de trabalho em Joanesburgo.
Thabo, um negro sem muita experiência fora do bairro onde nasceu e vive, desdobrou-se para cumprir a missão que lhe fora confiada: ser o nosso guia/motorista durante o período da Copa do Mundo. Errou muitas vezes, acertou outra, tentou acertar sempre.
Quando anunciamos a partida, fez questão de nos levar até a casa onde vive com os filhos e com demais familiares. Lá, brindamos com algo como uma cerveja local, bebida fermentada de gosto estranho que não pude negar.
Você vê as fotos, lê o texto, mas ainda assim não terá noção do que vivemos naqueles instantes. É impossível transmitir, sequer em palavras, a emoção que sentimos e mais, a emoção que eles tiveram ao receber dois "brancos" em um bairro onde os negros sempre foram maioria, mas imensamente discriminados.
Podemos ser amigos, meus amigos. As diferenças, ignorantes e mesquinhas, precisam desaparecer. Vou levar aqueles instantes para sempre.

"V" de verde e de Valdívia. É o Palmeiras


Um novo uniforme nesta quinta-feira contra o Botafogo, no Pacaembu. Quem sabe, um novo armador, nos próximos dias. Particularmente, acho que o Valdívia já está contratado pelo Palmeiras, faltando apenas a chegada dele no Brasil.
O chileno está acertando seus últimos detalhes nos Emirados Árabes Unidos e deverá ser o novo parceiro do meia Linconl (foto - de camisa verde) único remanescente do setor de criação depois das saídas de Diego Souza e Cleiton Xaiver.
Luis Felipe Scolari havia dito para mim, na sua apresentação, que aprova a vinda de Valdívia e que o conhece muito bem, desde os tempos em que tiveram contato fora do país. Esperemos o mago chegar.

Palhaços no Palácio


O presidente da CBF, Ricardo Teixeira, o Governador do Estado, Alberto Goldman e o prefeito da capital, Gilberto Kassab poderiam ter evitado o constrangimento público a que foram submetidos nesta quarta-feira. A imprensa foi convocada para acompanhar o pronunciamento das personalidades citadas sobre a escolha do estádio/local para a sede da abertura da Copa de 2014.
Depois de uma reunião que demorou quase duas horas, Ricardo Teixeira deu o seguinte pronunciamento. "Devo dizer que nos reunimos mas nao falamos sobre estádio. Conversamos sobre outras coisas relativas à Copa do Mundo", etc e tal.
Isso deixou claro que não houve acordo e que, portanto, a principal cidade do país ainda não tem um nome de consenso para o mundial da FIFA. Para não dizer que não saímos do econtro de mãos abanando, recebemos a informação de que o jogo de abertura vai ser em São Paulo. Só não pergunte onde. Nem para mim, nem para eles.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

Felipão viu de perto o trabalho que terá


Quando Felipão foi apresentado como novo treinador do Palemiras, não escondeu. Disse que teria muito trabalho pela frente e que seria necessário a paciência da torcida. Em 90 minutos ele teve a certeza de que acertou, em cheio, em sua análise. Os 4 a 2 contra o Avaí, em Santa Catarina mostramram um realidade dificíl, e um placar mais elástico do que deveria ter sido.
Pela experiência que tem, Felipão pode botar ordem na casa. Mas por enquanto, ele está repetindo o mesmo discurso que já foi de Luxemburgo, Jorginho, Muricy e Antonio Carlos. "O elenco é fraco, precisamos de reforços". Mas os outros não foram atendidos. Tenho, para mim, que Fleipão será.

Um presidente e uma boa conversa



Ao meu lado, o presidente do Santos, Luis Álvaro. Um grande sujeito, bom de conversa e excelente administrador. Tem tocado a vida do Santos com a mesma maestria com que gerencia seus negócios. E, na base da conversa, tem conquistado coisas importantes para o time que preside.
Um dos maiores exemplos dessa astúcia comercial pode ser observada no caso do atacante Keirrison, emprestado à equipe santista sem nenhum custo para os cofres da agremiação. "Conseguímos convencer o Barcelona (clube que detém os direitos federativos do atleta) de que esse período no Brasil iria valorizar o jogador. Além do que, há uma Copa do Mundo por ser disputada e ele tem grande chance de ser um dos convocados", revelou.
A estratégia no caso Keirrison é muito parecida com aquela que o mesmo Santos usou na Inglaterra para arrebanhar o craque Robinho junto ao Manchester City. Eu pergunto: Ele está errado ?

Keirrison chega no Santos de olho na Copa 2014



O atacante Keirrison deixou claro em sua apresentação, nesta 2a. feira. A chance de disputar a Copa do Mundo, em 2014, pesou muito na decisão de voltar ao futebol brasileiro. "Ricardo Teixeira (presidente da CBF) deixou claro que dará preferência para atletas que atuam no futebol brasileiro", lembrou o atacante.
Como se trata de uma transferência internacional, Keirrison só poderá estrear pelo Peixe depois do dia 3 de Agosto. Numa projeção otimista, ele deve vestir a camisa alvinegra, pela primeira vez, no dia 8 contra o Internacional, na Vila Belmiro.

domingo, 18 de julho de 2010

Tietagem de estrelas



No jogo amistoso em homenagem aos dois anos de fundação do Instituto Deco20, em Indaiatuba, vi momentos raros de tietagem entre estrelas do futebol mundial. Você vê nas fotos, a conversa de Rivelino - craque brasileiro dos anos 70 - e de Falcão - o melhor do mundo no futsal - com o craque argentino Lionel Messi.
Não aparece nas imagens, mas outro tiete do jogador argentino foi o craque Ronaldo. O Fenômeno insistiu para que o filho Ronald fosse pedir uma foto ao lado do camisa 10, xodó de Maradona. É claro que o filho obedeceu às ordens do papai.
Foi legal de ver isso tudo, ao vivo, numa manha ensolarada de domingo, em Indaiatuba, depois de quase uma semana de chuva e tempo nublado.
Valeu a oportunidade.

sábado, 17 de julho de 2010

Ao encontro de duas estrelas



Neste domingo, 18, estarei em Indaiatuba para registrar o encontro de dois grandes ídolos do futebol mundial. Lionel Messi, da Argentina e o brasileiro Deco, da seleção de Portugal. São as duas principais estrelas de uma partida amistosa nessa cidade, onde Deco mantém uma instituição de caridade.
Os dois craques estiveram recentemente na Copa do Mundo da África do Sul e fizeram um bom trabalho com suas seleções.
Vou tentar entrevista com os dois. Há informação de que Deco pode jogar, ainda este ano, pelo futebol brasileiro. Fluminense seria o clube certo, mas pode pintar o Palmeiras na parada. Os patrocinadores dos clubes são os mesmos, a Unimed, e Felipão já dirigiu Deco na seleção portuguesa. E isso pesa, muito.

Papai Papulo. Um adeus à outro ídolo esquecido


Sobre Papai Papudo e tantos outros.
Pena que o Brasil costuma lembrar-se dos ídolos/personagens, quando não é possível fazer mais nada para ajudá-los. Por exemplo: Há quanto tempo Papai Papudo estava sem trabalho ? Vivia de que ?
É assim e, infelizmente, sempre será.
Na nossa área - esportiva - tbem existem grandes personagens que estão "no escanteio" e serão reverenciados quando partirem. Pena que seja assim.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Felipão. SIm ou não à seleção?



Na concorrida apresentação do novo técnico do Palmeiras, Luis Felipe Scolari, uma dúvida ficou no ar. Felipão garantiu que não recebeu nenhum convite para ser o novo treinador do Brasil, mas esquivou-se quando perguntado o que faria se esse contato fosse feito. Ele limitou-se a dizer que é treinador do Palmeiras e que, portanto, não trabalharia sob hipóteses.
Na minha avaliação, se o presidente da CBF ligasse para ele, Felipão poderia até aceitar esse desafio. São 8 anos longe da seleção principal do Brasil e 10 anos do Palmeiras. Acho que ele, no primeiro momento, comandaria o Brasil "de longe" e, faltando dois anos para o Mundial do Brasil, seria o técnico, a caminho do hexa. Mas esse é apenas um palpite. Você concorda ?

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Parreira e Beckenbauer, estrelas de um evento em Joanesburgo




Dois campeões do mundo se encontram nesta segunda-feira em um evento na cidade de Joanesburgo para avaliar os semifinalistas da copa do mundo da África do Sul. De acordo com o alemão, a final vai ser entre Alemanha e Holanda. Seria uma repetição de 1974 quando os holandeses, com o famoso carrosel, não suportaram a pressão alemã e acabaram derrotados. "Seria maravilhoso", disse Kaiser.
A avaliação do brasileiro foi bem mais comedida. De acordo com Parreira, campeão mundial em 1994, as equipes são muito equilibradas e não se pode apostar em um ou outro favorito. "É prudente esperarmos a hora do jogo", concluiu.
Parreira tbem avaliou o desempenho do técnico Dunga. Para ele, até a derrota para a Holanda, tudo estava caminhando bem. "Foram 3 anos de bom trabalho e 45 minutos que definiram o futuro", lembrou.
Carlos Alberto Parreira também descartou ser o novo tecnico da seleção nacional. "Meu tempo já passou. É preciso escolher com calma porque o novo treinador sofrerá enorme pressão por conta dessa eliminação aqui na África do Sul", concluiu.

domingo, 4 de julho de 2010

Dois lados de um país que enriqueceu com sangue, diamante e discriminação





É possível perceber a tristeza que o ar de Joaneburgo emite por todos os cantos. É, ao mesmo tempo, um lugar muito rico e muito pobre. Uma cidade planejada para uns, esquecida por outros. Ao lado de um dos maiores centros financeiros - se não o maior do continente - está o bairro de Alexandra (foto), o mais violento de Joanesburgo.
A mesma cidade projetada, com largas avenidas e prédios imponentes, é a cidade que enriqueceu às custas da exploração escrava nas minas de diamante e ouro, no racismo e na forma mais bruta de não respeitar os direitos humanos.
No ar, medo e tristeza. E mais que isso. Existem duas cidades em apenas uma, em Joanesburgo. Tem-se a impressão de que a vida de Nelson Mandela - por um fio por conta de sua fragilidade e idade - será o divisor de águas de um futuro que desenha-se ser sombrio para o povo daqui.
Existem duas nações, uma preteria pela outra. Uma, de probreza extrema, outra de riqueza absoluta. A minoria esmagadora, pobre, ao que parece vai reagir, demore pouco ou muito tempo. Daí uma cidade com grades e com medo. Daí, uma tristeza que o ar não explica, mas deixa que a gente possa sentir.
Tomara que eu esteja errado nesse critério de avaliação.

O bom humor de um dos maiores âncoras do telejornalismo brasileiro



No dia a dia da redação em São Paulo não tive a oportunidade de "conhecer" Ricardo Boechat, o que veio acontecer, de fato, durante nossa temporada pela África do Sul. É dono de uma rapidez de raciocínio que faz inveja a muita gente, mas o humor de Ricardo Boechat é, talvez, um dos seus pontos mais fortes. Ele nao traz a pompa que o cargo e sua posição poderiam permitir. É um ser humano simples como a maioria de nós, embora seja o grande nome do jornalismo da TV Bandeirantes e um dos principais motivos pelo sucesso do Jornal da Band.
Como eu, é um ser humano "enroladaço", com a possibilidade de esquecer o celular no balcão de check-in, ou a mala de viagem no hall do hotel. Talvez, por isso, tenha me familiarizado tanto com ele. Figura da melhor qualidade. Valeu, Boechat.

Parabéns ao amigo Luciano


O maior narrador do Brasil está completando mais um ano de vida. Comemoração aqui em Joanesburgo, longe da família mas perto de alguns amigos. Luciano do Vale está na sua 10a. Copa do Mundo de futebol e merece nossos cumprimentos. Talvez, o maior profissional que trabalhei em mais de 20 anos de profissão. É o nome forte da narração, no Brasil. Perfeito ? Não, não é. Mas seguramente é um dos maiores responsáveis pelo sucesso de audiência que alcançamos durante a Copa do Mundo da África do Sul. Firme, Luciano, 2014 está aí. Estaremos juntos, se Deus nos permitir.

Jogatina é a grande diversão dos sulafricanos


Com ruas desertas e um medo terrível que paíra no ar, os Shoppings que se instalam em enormes cacinos, por toda a África do Sul, recebem um enorme número de adeptos, madrugada afora. Com funcionamento durante as 24 horas do dia, é a única opção de lazer para quem não quer ficar em casa. Se as cidades páram após as 5 da tarde, nos cacinos - com opções para todas as idades - o movimento é constante.
Há a área de compras e alimentação, mas a mola mestra disso tudo, são as roletas, as máquinas caça-níquel e por aí vai. Uma dupla de jornalistas, com quem viajei para o país da Copa - passou uma dessas noites em um cacino de Porto Elizabeth e faturou dois mil rands, algo em torno de 500 reais. Não é o suficiente para enriquecer, mas para grandes momentos de diversão e história para contar. No Brasil esses jogos são proibidos, ao menos aos olhos da lei.

As cores da moda, na África do Sul


Na medida que as equipes vão sendo eliminadas, os produtos começam a encalhar nas prateleiras das lojas e também nas mãos dos ambulantes. Espanha e Alemanha ganham a preferência e as cores pelas ruas de Joanesburgo. Copa do Mundo vive momentos decisivos e finais e as lojas já se preparam para a "queima de estoque". Depois do dia 20 deste mês, quando turistas e jornalistas já estiverem no avião (ou chegado à seus países de origem), os preços devem ruir ainda mais ferozmente. É a lei do mercado e, 2014, deve ser igual.

Beber, de leve.


Durante eventos da envergadura da Copa do Mundo de Futebol, sobra muito pouco tempo para uma cerveja. Claro, ninguém é de ferro, mas a gente tenta. Aqui, instante degustação de uma cerveja produzida na Namíbia. Nunca imaginei que pudesse viver esse dia.

Opção culinária em Joanesburgo




Em qualquer shopping, o movimento é incrível. Filas de espera nos restaurantes. Mas vale a pena. Um prato como este, na foto, custa algo em torno de 30 reais. Frutos do mar, peixe, batata frita e arroz. Não é o que posso chamar de um prato barato na África do Sul. Mas por estar sendo servido em um dos mais nobres shoppings da cidade, o preço já não é tão salgado. A rede que nos atendeu por ser conheida pelo site www.oceanbasket.com

sábado, 3 de julho de 2010

Brasil não aparece, no dia do jogo e nem no dia seguinte




Não era grande o número de torcedores à espera da saída da deleção brasileira, do hotel até o aeroporto de Porto Elizabeth. Ainda assim, foi lamentável a atitude dos jogadores. Crianças enfrentaram até 5 horas de sol forte e calor, na cidade praiana, sem receber um simples abanar das mãos daqueles que nos tiraram a grande chance de alegria.
Foi um silêncio incompreensível e uma falta de sensibilidade na mesma proporção. Talvez, através da assessoria, eles pudessem "escolher" algumas daquelas crianças para um set rápido para fotos e autógrafos, lá dentro da recepção do hotel. Não queríamos nós, os jornalistas, o privilégio do momento. Apenas, gostaríamos de noticiar um ato de grandiosidade que não aconteceu. Nossos ídolos estão deixando de ser ídolos, não só pelos resultados que nao alcançam. Mas também pelas atitudes que tomam. Pena que seja assim.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Laranja amarga à beira mar

Acordei com esse pressentimento, mas agora é fácil falar. Imagina que o Brasil poderia se dar mal diante dos holandeses. Aconteceu. Que coisa, hem ! Neto e Luciano do Valle. Grandes amigos, sentiram o golpe. Lágrimas mostraram profissionais, mas antes de tudo, enormes seres humanos. Esperamos mais 4 anos. E, queira Deus, possamos estar juntos, de novo.
video

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Vai que é sua, Taffarel.


Vitoriosos quando enfrentaram a Holanda, na última oportunidade que tiveram, Jorginho e Taffarel estavam pela orla de Port Elizabeth nesta quinta-feira de manhã, véspera do confronto contra os holandeses, pelas quartas de final da Copa do Mundo da África do Sul.
Rápido clic da dupla que cruzou meu caminho, há pouco.
Sorte para eles. Sorte, Brasil.